Oficinas Como Forma de Resgatar Memórias e Estimular a Cognição dos Idosos - 31.03.17

Um dos desafios ao longo do envelhecimento é a manutenção de uma mente afiada, o raciocínio rápido existente naqueles velhos tempos! Além disso, muitas vezes, ficamos incomodados porque percebemos que a memória também falha… Exemplo clássico é o esquecimento do botão do fogão aceso ou contar várias vezes a mesma história. A boa notícia é que, atualmente, existem ferramentas para manter e estimular os processos mentais, sentidos, pensamentos e a memória da população idosa.

Para nos dar seu depoimento sobre as oficinas que realiza com idosos, utilizando diversas dessas técnicas, convidamos a Anelise Giacomet, Gerontóloga, formada em Envelhecimento e Saúde do Idoso, que desenvolveu diversos trabalhos ligados ao acolhimento e aconselhamento de pessoas que acessam o CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento para HIV/Aids). Coordenadora do  projeto  Amadurecer  de prevenção de DSTs/Aids para pessoas com mais de 60 anos, no GAPA-RS. Experiência como consultora do Programa de Saúde do Idoso da Secretaria de Saúde de Canoas RS. Atualmente trabalha com método Andragógico e Neuróbica com idosos e grupos de idosos. Com a palavra, Anelise Giacomet:

“No Brasil e no mundo o número de idosos vem crescendo.  Cada dia observamos em todos os espaços inúmeras cabeças brancas se destacando e nos alertando que em pequeno espaço de tempo teremos mais idosos do que jovens. Com a vida moderna, muitas vezes, familiares não podem estar com seus idosos, deixando-os sós em casa, ou aos cuidados de outras pessoas, nem sempre especializadas para estimular suas atividades físicas e cognitivas.

Uma estratégia que desenvolvo e que traz diversos benefícios é a realização de Oficinas. As Oficinas são atividades com uma a duas horas de duração, utilizando materiais que possam estimular novos aprendizados, novas percepções, comunicação, interação com outras pessoas, sejam elas familiares ou colegas de clínicas geriátricas. São adaptadas para todos os tipos de idosos. Tanto os ativos, como os com problemas cognitivos, se beneficiam desta modalidade de trabalho.

Esta técnica é uma adaptação da Andragogia, ciência antiga que estuda educação para adultos, visando desenvolver habilidades e conhecimentos em espaços e ambientes informais, confortáveis, flexíveis e sem ameaças.  A ela foi aliada a Neuróbica, ginástica específica para o cérebro, que estimula os cinco sentidos, fazendo com que a pessoa preste mais atenção em suas ações, melhorando a concentração e a memória.

As atividades são lúdicas e divertidas, propiciando a integração e diminuindo a resistência, sem o peso de uma aprendizagem formal, nem sempre bem recebida pelos idosos.

Podem ser realizadas na residência, de forma individual ou em grupo, em vários espaços, como Grupos de Convivência, Geriatrias, Enfermarias de Hospitais.

Os materiais utilizados são escolhidos ou confeccionados em tamanhos grandes, de fácil manuseio, visualização e leitura.

Os materiais, quando utilizados com pessoas com déficit cognitivo, tem o objetivo de serem intermediários entre o participante e o facilitador. Muitas vezes este vínculo se estabelece de forma mais fácil e duradoura. O idoso se comunica sem a necessidade de termos que solicitar muitas vezes a sua atenção e motivá-lo para o exercício.

A atenção, o afeto e a empatia estão presentes neste tipo de trabalho. É muito importante que seja realizado por um profissional habilitado e com perfil para tal.

Novos tempos de velhice, nos desafiam a construir novas estratégias no manejo de como lidar com ela, para que possamos viver e desfrutar o melhor de todas as épocas da vida.

A seguir, acompanhe alguns exemplos do trabalho realizado pela Anelise Giacomet:

Oficina de Neuróbica no Grupo de Convivência Vila Flores 60+.

Estimulação cognitiva no Solar Monte Líbano.

Formação de vínculo afetivo através de bichos de pelúcia

Ouvindo as memórias através da estimulação pelos materiais.

Jogos de estimulação cognitiva, tempo e espaço na Internação Geriátrica do Hospital São Lucas.

Estimulação de relato de memórias na Internação Geriátrica do Hospital São Lucas

Vínculo lúdico e afetivo na Internação Geriátrica do Hospital São Lucas.

 

Você ficou com alguma dúvida? Quer alguma informação adicional? Tem alguma sugestão de tema para tratarmos no nosso blog? Envie sua mensagem para falecom@ohanaconciergerie.com.br