Sexagenário, Sexy? Quem, eu? - 06.09.16

 

“O que vou fazer neste sábado? Com quem vou sair para um cinema ou jantar? Queria muito beijar na boca, dançar… Puxa, estou ficando velha, não tenho mais vida social, nenhum relacionamento, nunca mais vou transar?” Com certeza, algumas pessoas que estão chegando aos sessentinha podem estar neste momento lendo isso e se perguntando: será que essas frases são para mim?

 

Quando se fala em relacionamento adulto não dá para desconsiderar a sensualidade, o ato sexual, pois a relação física é parte importante deste contexto. Existem porém, em nosso imaginário alguns mitos que trazemos desde a infância em relação a isso, dependendo de como fomos criados, conforme o grau de relacionamento e intimidade que vivenciamos próximo aos nossos pais; ou seja, mãe e pai são assexuados, avôs não se relacionam sexualmente, os mais velhos não têm eroticidade, enfim, criamos toda uma construção social em que somente os jovens casais seriam os detentores das técnicas de sedução e que ter um corpo jovem seria o responsável pela boa performance e desenvoltura da sexualidade.

Ledo engano!!! O processo de envelhecimento não é motivo para cessar a vontade de estar com alguém e se relacionar sexualmente com esta pessoa. Este assunto não deveria ser motivo de piadas entre amigos como se pessoas envelhecendo não tivessem mais vontades, ou o fato do físico não responder mais, da mesma forma que na juventude, ser condição para satisfação ou não dos desejos e erotização dos casais mais velhos.

Claro que o sexo vai se modificando à medida em que envelhecemos, já não temos a mesma disposição física que outrora tínhamos, porém isso não deve ser desculpa para que os casais deixem de se relacionar. As novas tecnologias farmacológicas foram responsáveis por inúmeras melhorias nas condições físicas para que as relações sexuais tanto masculinas quanto femininas se realizem de maneira mais eficaz, pois o advento de medicamentos facilitadores da ereção e diminuidores do ressecamento vaginal possibilitaram inúmeros momentos de realização entre casais provocando satisfação e alegria.

Embora vivamos numa sociedade que se importa com a vida íntima dos idosos como se isso descaracterizasse o comportamento ético ou de caráter do mesmo, já se faz mais do que necessário modificar essa conduta. O envelhecimento não pode ser motivo para que uma pessoa perca a vontade de se relacionar e sentir alegrias e sensações que a intimidade do sexo proporciona.

Claro que não é tarefa fácil. Para as idosas, após enviuvar, refazer suas relações e buscar novos parceiros é uma árdua tarefa, após anos de vida com uma mesma pessoa, muitas tendo filhos e netos que excluem suas características de mulher e detentora de desejos; e para os senhores, que por vezes se veem sozinhos e buscam relacionamentos físicos, noutras vezes largam tudo na busca de uma nova esposa e o que acontece, é que acabam “metendo os pés pelas mãos”, por assim dizer, por querer apressar as coisas achando que não há mais tempo a perder.

Intimidade e alegria do casal na cama!

Se existem outros caminhos que estes homens e mulheres podem tomar para que seus relacionamentos sejam satisfatórios, tais como sites de relacionamento, clubes de terceira idade, bailes, etc. devem tentar, do seu jeito, realizar estes encontros, pois tudo deve ser feito para que para que novas histórias de sucesso sejam contadas com bons momentos de intimidade e realizações.